• Eventos.
  • Imprensa.
  • Fale Conosco.
    Português Português (BR)

Íntegra

Índices refletem apostas em redução da taxa Selic em 2019

A confiança dos agentes econômicos com a sinalização de um maior alinhamento em relação à reforma da previdência e à confirmação do fraco dinamismo da economia brasileira fez com que o mercado aumentasse as apostas de redução na taxa Selic ainda este ano. Esse movimento impactou fortemente a precificação dos ativos. O IMA-Geral variou 1,84% em maio, percentual superior ao apurado nos últimos três meses.

Grafico_RF_1.png

Como esperado, os títulos de longo prazo, mais sensíveis às expectativas econômicas, foram destaque. O IMA-B5+ registrou variação de 5,20% no mês, acumulando alta de 15,29% no ano. Já o IRF-M1+ apresentou rentabilidade de 2,17% em maio e registra ganho de 5,48% em 2019. Esse avanço ocorreu em maior ritmo na última semana do mês, quando esses índices chegaram a variar 2,94% (IMA-B5+) e 1,03% (IRF-M1+) no período.

Os subíndices de menor duration também apresentaram os melhores resultados dos últimos três meses. O IRF-M1 e o IMA-B5 registraram ganhos de 0,68% e 1,39% no mês, respectivamente. No ano acumulam variação de 2,72% e 5,47%, nesta ordem. O IMA-S, que segue a trajetória da taxa Selic, avançou somente 2,60% em 2019.

Grafico_RF_2.png

A evolução dos preços das debêntures em mercado, representado pela família IDA, seguiu a mesma trajetória dos títulos públicos. A maior rentabilidade foi vista nas debêntures incentivadas, representada pelo IDA – IPCA Infraestrutura, que variou 2,33% em maio e acumula 7,31% em 2019. Logo em seguida vem o IDA – IPCA ex-Infraestrutura com ganho de 1,47% no mês e 6,36% no ano.