IMA

O IMA (Índice de Mercado ANBIMA) é uma família de índices de renda fixa que representam a dívida pública por meio dos preços a mercado de uma carteira de títulos públicos federais.

Os subíndices do IMA são determinados pelos indexadores aos quais os títulos são atrelados:

  • IRF-M (prefixados)
  • IMA-B (indexados pelo IPCA)
  • IMA-C (indexados pelo IGP-M)
  • IMA-S (pós-fixados pela taxa Selic)

Além disso, são divulgados diariamente:

  • IMA-Geral ex-C
    • Carteira que exclui títulos indexados ao IGP-M (NTN-C), por conta da não emissão de novos títulos e baixa liquidez observada no segmento
  • IRF-M 1 e IRF-M 1+; IMA-B 5 e IMA-B 5+
    • Segmentações dos subíndices IRF-M e IMA-B segundo o prazo de seus componentes, de forma a atender aos diferentes perfis de maturidade

A carteira teórica do IMA-Geral é composta por todos os títulos elegíveis, representando a evolução do mercado como um todo

Consulta aos resultados diários

Diariamente são publicados os números índices e as suas variações porcentuais em relação aos seus valores de fechamento do dia útil anterior do IRF-M, do IMA-B e dos seus respectivos subíndices por faixa de prazo (IRF-M 1, IRF-M 1+, IMA-B 5 e IMA-B 5+).

Intradiário 12h

A partir de 27/03/17, o IMA Intradiário 12h30 foi substituído por 12h.

Carteiras teóricas

Saiba quais são as características atualizadas das carteiras teóricas.

Prévia das carteiras teóricas Consulta às carteiras teóricas
Quantidades em mercado

Consulte diariamente a quantidade de cada título em mercado para acompanhar as mudanças nos estoques ao longo dos períodos de validade das carteiras.

Consulta às quantidades em mercado

Biblioteca de Documentos
Perguntas Frequentes

A diferença fundamental é o lastro da carteira teórica de cada Índice. Em todos os casos, as carteiras são compostas por títulos públicos federais em mercado emitidos de forma definitiva. O IRF-M é composto por títulos prefixados (LTN e NTN-F); o IMA-C, por títulos atrelados ao IGP-M (NTN-C); o IMA-B, por títulos atrelados ao IPCA (NTN-B); e o IMA-S, por títulos atrelados à Taxa Selic (LFT).¿

Esses prazos foram decididos no âmbito da Comissão de Benchmarks da ANBIMA, que é o fórum responsável pelo desenvolvimento da metodologia e acompanhamento dos Índices. Seus membros entenderam que, no caso do IMA-B, até cinco anos estariam concentrados os vencimentos mais líquidos, o que justificaria esta segregação. Já com relação ao IRF-M, foi escolhido o prazo de um ano como divisor dos subíndices, porque a carteira dos títulos prefixados possui um perfil de menor maturidade comparativamente aos títulos indexados a Índices de preço.¿

Os investidores devem acompanhar o Índice que mais se aproxima da característica do seu investimento em termos de prazo, indexador e exposição a risco. Assim, um investidor institucional que deseja ter sua rentabilidade atrelada a Índices de preços ao consumidor, por exemplo, deve acompanhar a trajetória acumulada do IMA–B, cujas carteiras são compostas exclusivamente por papéis públicos indexados a este Índice, ou correspondente, segregadas em papéis até cinco anos e com prazo superior a este.¿

O Índice que mais se aproxima do DI é o IMA-S, por ser composto de títulos que são atrelados à Taxa Selic. O IMA-S, no entanto, sofre variações decorrentes da variação do ágio/deságio das LFT, podendo, inclusive, apresentar variações negativas. Esse movimento, no entanto, geralmente é associado a períodos de turbulências no mercado.

Veja Mais