• Eventos.
  • Imprensa.
  • Fale Conosco.

Notícias

Emissões de debêntures crescem 96% até agosto na comparação a 2017

Papéis influenciaram aumento de 33% no volume de operações no mercado de capitais

As debêntures lideram as emissões no mercado de capitais em 2018, de acordo com nosso Boletim de Mercado de Capitais. A captação com esses papéis teve crescimento de 96% de janeiro a agosto em relação ao mesmo período do ano passado, acumulando R$ 95 bilhões. Os investidores institucionais são os que mais fazem aportes nas debêntures, respondendo por 57,2% do total.

+ Confira o Boletim de Mercado de Capitais completo
+ Receba nossas publicações gratuitamente. Cadastre-se!

“Mesmo em um contexto de incertezas na política e na economia, os títulos privados de dívida têm impulsionado o mercado de capitais e atraído os investidores”, afirma José Eduardo Laloni, nosso vice-presidente. As captações totais no mercado de capitais chegam a R$ 149,4 bilhões até agosto, um aumento de 33% frente aos R$ 112,3 bilhões dos primeiros oito meses de 2017. O destaque é para os instrumentos de renda fixa, que representam 89% do total captado este ano, contra 74% do mesmo período de 2017. 

Entre as debêntures, as incentivadas (regidas pela Lei 12.431) respondem por R$ 14,3 bilhões do total no ano. Em agosto, as duas principais emissões foram realizadas pela Celpe (Companhia Energética de Pernambuco), que captou R$ 600 milhões, e pela Agro Transmissão de Energia, com R$ 455 milhões.

No último mês, as notas promissórias somaram R$ 2,4 bilhões. No acumulado do ano, elas registram avanço de 60% na comparação com 2017, com volume de R$ 20,7 bilhões, frente aos R$ 12,4 bilhões de janeiro a agosto do ano passado. “Por serem títulos de prazos mais curtos, as notas promissórias costumam ser utilizadas pelas empresas para captações em períodos de incertezas”, explica Laloni.

Notícias relacionadas

Não foram encontrados resultados para esta consulta.