Notícias

Atualizações do SSM focam em transparência e eficiência nas comunicações

webinar.jpg
Ana Wisbeck, Guilherme Benaderet e Cleber Andrade

As instituições que seguem nossas regras de autorregulação agora podem escolher a forma de recebimento dos comunicados da Supervisão de Mercados no SSM (Sistema de Supervisão de Mercados): se no ato em que são divulgados ou uma vez por semana (sempre às terças-feiras). A novidade impactará, principalmente, as empresas que são aderentes a mais de um código e, portanto, recebem um volume maior de comunicações. “A intenção é que a supervisão não seja uma atividade onerosa para a instituição. A possibilidade de escolha auxiliará no controle de fluxos de trabalho e, consequentemente, no dia a dia”, falou Cleber Andrade, analista da Supervisão de Mercados. Ele foi um dos palestrantes do webinar que apresentou as atualizações do SSM e aconteceu na última quinta, dia 3. Mais de 250 pessoas acompanharam a transmissão.

Caso a instituição opte por receber as comunicações uma vez na semana, os prazos de resposta para a Supervisão não serão afetados. Todos sempre serão contabilizados a partir do recebimento da instituição. A exceção fica por conta das interações feitas quando há um PAI (Procedimento para Apuração de Irregularidades), isto é, uma investigação, ou um processo em andamento. Além disto, as comunicações que não precisam de resposta como, por exemplo, aviso de eventos, estão agora no item “Notificações”. Dessa forma, a instituição pode diferenciar comunicações meramente informativas daquelas que fazem parte do processo de supervisão.

Outra novidade é o maior detalhamento do andamento dos processos que tramitam na Supervisão de Mercados com objetivo de trazer mais transparência. Antes das mudanças o módulo “Solicitação de informação” estava dividido em “Novas” e “Pendentes”, abas nas quais ficavam as informações dos monitoramentos. Agora esse item foi desdobrado em: “Novas solicitações”, “A complementar”, “Pedido de esclarecimento”, "Pedido adicional” e “Plano de ação aceito”, mostrando cada etapa da supervisão. “Quando entrar no sistema, a instituição terá uma fotografia de sua situação atual”, disse Ana Wisbeck, analista da Supervisão de Mercados.

Além das novidades, Guilherme Benaderet, superintendente de Supervisão de Mercados, falou sobre o histórico do SSM. A plataforma existe há dois anos e, até o momento, já foram trocadas mais de 40 mil mensagens e cadastrados cerca de 3,8 mil usuários. “O sistema tem sido muito útil para o mercado. Estamos sempre abertos para o recebimento de quaisquer sugestões de aprimoramento da plataforma”, disse o executivo.