• Empresas fiscalizadas.
  • Fale Conosco.
  • Imprensa.

Imprensa

Títulos públicos têm ajuste nos preços no primeiro dia após alta dos juros

O aumento da Selic de 2% para 2,75%, anunciado ontem pelo Copom (Comitê de Política Monetária, do Banco Central), provocou na manhã de hoje ajustes nos preços dos títulos públicos. As taxas dos papéis prefixados e dos indexados ao IPCA se elevaram, o que corresponde a queda nas suas rentabilidades. O movimento foi acompanhado pelos indicadores do IMA (Índice de Mercado ANBIMA, da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais).

Até as 12h30, o desempenho do IRF-M, que acompanha as LTNs e NTNF-s (prefixados) em mercado, registrava queda de 0,22%. Os papéis com prazos menores (vencimentos até um ano), expressos pelo IRF-M 1, recuavam 0,10%. Já aqueles com vencimentos acima de um ano, refletidos pelo IRF-M 1+, caíam 0,30%.

Entre as NTN-Bs, (indexados ao IPCA), a redução foi ainda maior. O retorno do IMA-B, que acompanha esses papéis, recuava 0,52% até as 12h30. Os títulos que vencem em até cinco anos, representados pelo IMA-B 5, apresentavam variação negativa de 0,44%, enquanto os com prazo acima de cinco anos (IMA-B 5+) registravam perda de 0,58%.

 

Sobre a ANBIMA

A ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais) representa mais de 250 instituições de diversos segmentos. Dentre seus associados, estão bancos comerciais, múltiplos e de investimento, asset managements, corretoras, distribuidoras de valores mobiliários e consultores de investimento. Ao longo de sua história, a Associação construiu um modelo de atuação inovador, exercendo atividades de representação dos interesses do setor; de regulação e supervisão voluntária e privada de seus mercados; de oferta de produtos e serviços que contribuam para o crescimento sustentável dos mercados financeiro e de capitais; e de educação para profissionais de mercado, investidores e sociedade em geral.