• Impactos da Covid-19.
  • Conteúdos especiais.
  • Eventos.
  • Fale Conosco.
  • Imprensa.

Imprensa

Alta da inflação reduz retorno dos títulos prefixados em mercado

O resultado do IPCA-15 em outubro (0,94%) teve impacto sobre os títulos públicos em mercado, especialmente nos papéis prefixados. No período entre o anúncio da taxa de inflação, no dia 23, e o fim do mês, o IRFM-1+ apresentou perda de 0,58%. O índice calculado pela ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais) retrata uma carteira com títulos prefixados com mais de um ano de vencimento e teve queda de 0,61% em outubro, reduzindo o retorno no acumulado do ano para 4,76%.

"A incerteza sobre como irá se comportar a inflação nos próximos meses, ou seja, se essa alta é temporária ou não, pode ter contribuído para a oscilação na carteira que compõe o índice", avalia Hilton Notini, gerente de Preços e Índices da ANBIMA.

Entre os índices da ANBIMA indexados ao IPCA, os destaques foram o IMA-B5, composto por títulos de até cinco anos, que teve rentabilidade de 0,20% no mês e 4,72%, no ano, e o IMA-B5+, com títulos acima de cinco anos, que teve desempenho de 0,22% no mês. No ano, até outubro, o IMA-B5+ sinaliza perdas de 4,35%. Já nos papéis prefixados até um ano, refletidos pelo IRF-M1, a rentabilidade foi de 0,16%, acumulando no ano 3,29%.

Outro destaque foi a recuperação da carteira das LFTs em mercado, refletida no IMA-S, que depois de uma queda de 0,27% em setembro subiu 0,13% em outubro.

Confira os resultados completos no Boletim de Renda Fixa.

Sobre a ANBIMA

A ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais) representa mais de 250 instituições de diversos segmentos. Dentre seus associados, estão bancos comerciais, múltiplos e de investimento, asset managements, corretoras, distribuidoras de valores mobiliários e consultores de investimento. Ao longo de sua história, a Associação construiu um modelo de atuação inovador, exercendo atividades de representação dos interesses do setor; de regulação e supervisão voluntária e privada de seus mercados; de oferta de produtos e serviços que contribuam para o crescimento sustentável dos mercados financeiro e de capitais; e de educação para profissionais de mercado, investidores e sociedade em geral.