• Eventos.
  • Imprensa.
  • Fale Conosco.

Imprensa

ANBIMA reduz para 5% estimativa da Selic em 2019

O Grupo Consultivo Macroeconômico da ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais) reduziu pela terceira vez consecutiva a projeção da taxa básica de juros no fim deste ano, para 5% (em junho estava em 5,75% e em julho havia passado para 5,25%). A trajetória de queda já teria início na reunião do Copom (Comitê de Política Monetária, do Banco Central) que termina hoje, passando dos atuais 6% para 5,5%. Para o fim do próximo ano, o grupo espera que a Selic se mantenha em 5%.

Em relação ao câmbio, o grupo de economistas elevou a projeção para o fim de 2019 de R$ 3,78 (apontado na reunião anterior, em julho) para R$ 3,91 (abaixo da atual cotação da moeda). O resultado, caso concretizado, equivalerá a desvalorização de 0,8% da moeda brasileira frente ao dólar. Para o fim de 2020, a estimativa também foi revisada para cima, de R$ 3,83 para R$ 3,95.

“Entendemos que a trajetória do câmbio se mantenha volátil”, diz Fernando Honorato, coordenador do Grupo da ANBIMA. “Apesar da depreciação do real, o Banco Central deve seguir cortando os juros: há capacidade ociosa na economia, o repasse cambial tem sido baixo e o ambiente global está desinflacionário”, completa.

Inflação e PIB

Em relação à inflação, os economistas reduziram a projeção do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) para 3,5% (estava em 3,8% na reunião de julho) no encerramento de 2019 – o que manterá o índice abaixo da meta deste ano, que é de 4,25%. Para 2020, as expectativas ficaram em 3,8%, patamar que também está abaixo da meta para o período (4%).

Quanto à atividade econômica, o grupo da ANBIMA manteve pelo terceiro mês consecutivo a projeção de 0,8% para o PIB (Produto Interno Bruto) de 2019. Para 2020, a estimativa de crescimento foi revisada de 2,2% para 2%.

Confira o relatório completo

Sobre o Grupo Consultivo Macroeconômico

O Grupo Consultivo Macroeconômico da ANBIMA (nova denominação para o Comitê de Acompanhamento Macroeconômico) é composto por 25 economistas de instituições associadas. Eles se reúnem a cada 45 dias, em média, sempre na semana que antecede a reunião do Copom (Comitê de Política Monetária, do Banco Central), para analisar a conjuntura econômica e traçar cenários para os mercados brasileiro e internacional.

Sobre a ANBIMA

A ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais) representa mais de 250 instituições de diversos segmentos. Dentre seus associados, estão bancos comerciais, múltiplos e de investimento, asset managements, corretoras, distribuidoras de valores mobiliários e consultores de investimento. Ao longo de sua história, a Associação construiu um modelo de atuação inovador, exercendo atividades de representação dos interesses do setor; de regulação e supervisão voluntária e privada de seus mercados; de oferta de produtos e serviços que contribuam para o crescimento sustentável dos mercados financeiro e de capitais; e de educação para profissionais de mercado, investidores e sociedade em geral.