• Empresas fiscalizadas.
  • Fale Conosco.
  • Imprensa.
    Português Português (BR)

Boletim Renda Fixa

Títulos públicos e corporativos indexados à inflação foram os mais rentáveis no mês

Em maio, os títulos públicos e corporativos indexados à inflação apresentaram as maiores rentabilidades no período, segundo os índices de mercado da ANBIMA. O subíndice IMA-B, que reflete a carteira das NTN-Bs marcadas a mercado, subiu 1,06% no período, mas mantém perda de rendimento em 2021, reduzida agora para 1,14%. O IDA-IPCA, que espelha a trajetória das debênturas indexadas ao IPCA, performou 0,92% no mês e ampliou sua rentabilidade anual para 2,06%.IMAB e IDAIPCA.png

A performance dos papéis mais longos e indexados ao IPCA reflete a busca de proteção de um cenário de inflação mais alta por parte dos investidores, sobretudo após o acionamento da bandeira vermelha para a conta de energia elétrica. Por outro lado, mesmo com as incertezas decorrentes da pandemia, há a redução da percepção de risco do mercado, diante dos resultados das contas públicas e da melhora no nível de atividade, confirmada com o resultado do PIB (Produto Interno Bruto) do primeiro trimestre.

O IMA-B5+, carteira de maior duração da família IMA (NTN-Bs acima de cinco anos), e que está exposto ao maior risco de mercado, foi o destaque mensal com 1,38% de variação no período, reduzindo sua perda no ano para 3,35%. O IMA-B5, que reflete a percepção de risco de médio prazo (debêntures até cinco anos), vem em seguida, com 0,69% de ganho mensal, acumulando a maior performance do ano, 1,42%.IMAB5_ e IMAB5.png

O IRFM1+, carteira dos títulos pré-fixados e que espelha a percepção dos investidores para o médio e longo prazo (acima de um ano), valorizou, com menor intensidade, rentabilizando 0,20% em maio e recuando 3,51% em 2021.  Nas carteiras de curto prazo, o IRF-M1 (papéis prefixados até um ano) e o IMA-S (carteira das LFTs em mercado) exibiram rendimentos de 0,20% e 0,35%, no mês, acumulando 0,60% e 0,87% no ano, respectivamente.

No lado dos títulos corporativos, o subíndice IDA-IPCA infraestrutura, (que reflete as debêntures de infraestrutura em mercado), foi destaque e registrou desempenho mensal de 0,92%, atingindo rentabilidade de 1,90% no ano. O IDA-IPCA ex-infraestrutura encerrou o mês com 0,86%, ampliando sua performance em 2021 para 3,26%. O IDA-DI (carteira de debêntures indexadas ao DI diário) apresentou 0,44% de rendimento em maio e aumentou sua variação no ano para 2,54%.